segunda-feira, 18 de setembro de 2017

A minha cidade...


Aproveitando o tempo, depois do almoço, para relaxar e apreciar um pouco da minha cidade, antes de reiniciar o trabalho.
Uma semana feliz!!!!!


Estátua de João Gonçalves Zarco

Com o intuito de perpetuar a figura e 
obra de João Gonçalves Zarco, a Junta Geral do Distrito pediu a Francisco Franco que executasse esta estátua. O arquitecto Cristino da Silva esteve a cargo do projecto do pedestal, onde fez representar elementos alegóricos relacionados com os Descobrimentos: Povoamento, Conquista, Sabedoria e Evangelização.

Depois de escolhido o local, procedeu-se à inauguração do monumento. Assim, em 1934, ergueu-se na intersecção das Avenidas Zarco e Arriaga, a estátua de João Gonçalves Zarco. Esta estátua ganhou a medalha de ouro na Exposição Ibero-Americana em Sevilha no ano de 1929.






Avenida Zarco (em baixo)


Este edifício, sede do Banco de Portugal na Madeira, inaugurado em 1940, foi projectado pelo arquitecto Edmundo Tavares.
A fachada em cantaria cinzenta ostenta motivos ornamentais em mármore branco.






em baixo (ao fundo) o Café Golden Gate(esplanada)

No Golden Gate cheirava a tabaco e a café aromático do Brasil arrefecendo na mesa cheia de conversa cinzeiros copos de brandy e jornais sobre as cadeiras de vime cansado". Foi assim que José António Gonçalves, descreveu, em 2004, um dos mais antigos cafés do Funchal, numa das estrofes do poema 'Dias Húmidos na Ilha'
A história do Golden Gate começa em 1841, ano em que Domingos Olavo Correia de Azevedo assumia as funções de governador da Madeira, num Portugal marcado pelas lutas entre o liberalismo e o absolutismo. 
O país, sob o reinado de D. Maria II, vivia algumas convulsões sociais, com a burguesia a ganhar terreno à nobreza, o surgimento da classe operária e a defesa do fim da escravatura e da instrução para toda a população.

O Golden Gate surgia assim num Portugal em que germinavam novas ideias, às quais era, como naturalmente, oferecida alguma resistência, e numa Madeira, onde a grande maioria da população vivia ainda em condições miseráveis.

O café/restaurante, no piso térreo, com esplanada, servia de apoio ao pequeno hotel na esquina da Avenida Arriaga com a Avenida Zarco, o qual ganhou logo espaço como ponto de paragem de muitos turistas e de tertúlia da elite funchalense.


Rua Dr. António José de Almeida (em baixo)

 (São Pedro de AlvaVale da Vinha17 de Julho de 1866 — Lisboa31 de Outubro de 1929) foi um político republicano português, sexto presidente da República Portuguesa, cargo que exerceu de 5 de Outubro de 1919 a 5 de Outubro de 1923. Foi o único presidente da Primeira República Portuguesa a cumprir integralmente e sem interrupções o seu mandato de 4 anos, tendo com ele Portugal retornado a uma presidência civil.[1] A data do seu nascimento é feriado municipal em Penacova.




A Assembleia Legislativa da Região Autónoma da Madeira  está instalada no edifício da antiga alfândega do Funchal. De construção Gótica, com tectos de alfarge, ao gosto mudéjar, mandada construir por volta de 1519, sofreu várias alterações ao longo dos séculos XVII e XVIII.




Praça do Povo é uma promenade ajardinada e sobranceira ao oceano na marginal do Funchal, na ilha da Madeira. É ladeada a norte pela Avenida do Mar e das Comunidades Madeirenses e a sul pelo mar, estendendo-se desde o cais, próximo do Palácio de São Lourenço e do começo da Avenida Gonçalves Zarco, até à Praça da Autonomia. Em frente à praça, a norte, localizam-se notoriamente, entre outros, os edifícios da Assembleia Legislativa da Madeira, da Guarda Nacional Republicana, da Capitania do Porto do Funchal e da Alfândega do Funchal.
A praça foi construída como solução para o aterro criado naquela zona da baía da cidade em resultado das enxurradas de 20 de fevereiro de 2010. A sua inauguração deu-se a 7 de novembro de 2014.

















domingo, 17 de setembro de 2017

A natureza nos ensina....


A natureza é uma bela obra de Deus; toda ela foi feita para nós num gesto do amor de Deus; sendo divina ela está repleta de beleza, harmonia, cores e lições que nos ensinam a viver. Jesus a usava sempre em Seus ensinamentos. “Olhai os lírios do campos…”, veja a semente da mostarda, olhe os pastores e as ovelhas…Olhai para os campos, onde todas as coisas falam do amor: onde os ramos se abraçam, as flores dançam, os pássaros namoram; onde a natureza toda glorifica o espírito.
Galileu disse que a natureza é um documento escrito nas linguagens matemáticas. Tudo nela é preciso, ordenado e belo. Os elétrons giram em torno do núcleo do átomo com leis precisas; os planetas giram todos em torno do Sol, obedecendo às três leis precisas descobertas por Kepler. Todos os corpos caem em queda livre com a mesma aceleração da gravidade que Torricelli determinou fazendo experiências na Torre de Pisa.
Você pode não receber flores todos os dias em sua casa, mas Deus as manda pela natureza quando você vai para o trabalho.
Felipe Aquino





















Estreando a assadeira... bacalhau (no forno)....


Estreando a assadeira... bacalhau com batatas, assando no forno...







Petiscando antes de colocar o jantar no forno...





Enquanto o jantar vai ao forno, aproveitar para petiscarmos um pouco .... com uma cerveja bem fresca




terça-feira, 12 de setembro de 2017

Um final de tarde...

Depois de um dia extenuante, nada melhor que um passeio para descontrair, tomar uma bebida e contemplar..
Contemplar o final de tarde tão lindo, em Câmara de Lobos